sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Pela volta das CALOURADAS!

Em 2010 a Reitoria, ainda na gestão do professor Amaro Lins (atual secretário de Ensino Superior do MEC), proibiu a realização das calouradas nos espaços internos do campus. Essa medida foi posta em prática como um decreto e nenhuma organização estudantil foi ouvida ou consultada sobre o caso. Por isso, essa proibição foi realizada de forma autoritária e antidemocrática, principalmente por serem os estudantes os organizadores das calouradas, e, dessa forma, os mais preocupados com o assunto. Pior, é que essa atitude relembra em quase tudo o decreto-lei 477 de 1968, que proibia a liberdade de expressão dos estudantes e até professores, num período em que os militares rasgaram a constituição federal, invadiram e fecharam o senado, o congresso, os sindicatos e as organizações estudantis, torturando, seqüestrando e matando estudantes, padres, mulheres e crianças.
Apesar disso, no dia 15 de fevereiro foi dado um passo importante para o entendimento entre as entidades estudantis e a nova gestão da Reitoria: a criação do Grupo de Trabalho pela Volta das Calouradas, com membros da classe estudantil e da da própria reitoria. Então fique atento porque estaremos realizando pré-Calouradas PELA VOLTA DAS CALOURADAS EM 2012!



                
               Reunião em 15 de fevereiro, com a Reitoria pela volta das calouradas.



terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Barrar o Jubilamento: Essa é a nossa tarefa!


            Nos últimos dias de gestão do ex-reitor Amaro Lins, nos foi pregada mais uma surpresa. Publicou-se no site da Proacad, uma lista com cerca de 2.200 estudantes para terem suas matrículas recusadas no período letivo de 2012.1. Além disso, todos esses alunos tiveram seu desempenho acadêmico exposto, fazendo com que alguns deles tenham sido vítimas de bullying e outros transtornos.
            O Jubilamento foi um método utilizado na Ditadura Militar para reprimir os estudantes, na tentativa de colocar medo para que esses não se manifestassem na luta por melhorias na educação e por uma sociedade mais justa e democrática. E foi então retomado após a implantação do REUNI nas Universidades, querendo colocar pra fora centenas de estudantes vítimas do descaso em que a educação vem sendo tratada em nosso país.
            Diante disso, o DCE realizou uma reunião com os DA’s e levou uma carta assinada por algumas das entidades de representação estudantil da UFPE para o Reitor (Anísio Brasileiro) , pedindo a paralisação do processo para reavaliação dos critérios do jubilamento com a participação dos estudantes. Fruto dessa reunião, garantimos que todos os estudantes presentes na lista , pudessem se matricular no período letivo de 2012.1 e uma nova reunião  foi marcada para o  início do semestre afim de discutir melhor o assunto.
            Devemos exigir o direito de poder concluir nossos cursos com segurança e mais qualidade! A culpa da deficiência em que se encontra a educação nos dias de hoje não pode ser colocada em cima do estudante! O DCE-UFPE convida a todos a participarem e assinarem o abaixo-assinado contra o jubilamento nas sedes dos DA’s e do DCE.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Nota sobre o jubilamento

Olá pessoal,


       Assim como informamos na reunião, fui ao Ministério Público Federal e lá as orientações que recebi foram que
precisamos fazer um abaixo-assinado com o nome das pessoas que querem entrar com a ação contra o jubilimento junto com um documento relatando o ocorrido. Esse documento será analisado pelo promotor e nos será dado a resposta com três dias. Além disso, todos precisam fazer o recurso lá na Proacad.
      Também fui a Defensoria Pública, me disseram que não tinha como fazer a defesa em conjunto, como seria o ideal, mais que cada aluno poderia entrar com a reclamação individual. Para isso é necessário levar os seguintes documentos:
- Cópia do RG e CPF
-  Cópia(s) da(s) Carteira(s) de trabalho
- Comprovante de residencia
- Cópia do indeferimento administrativo
- contra cheque (último mês)
- certidão de casamento
- cópia do processo da universidade
e ter renda familiar bruta de até 1.873,94 (esse valor deve ser o que restar depois de descontar aluguel, plano de saúde, medicamentos, pensão alimentícia, etc)

      Pessoal é muito importante que todos assinem o quanto antes o abaixo-assinado, vamos deixar cópias na xerox de Matias (CFCH), do DA de Civil( CTG) e no DA da área II. 

     Além disso, deixaremos também uma procuração para que todos preencham, para ser entregue pessoalmente ao reitor. Precisamos correr com isso! 

Qualquer coisa podem me ligar: 97443770 / 91524989 / 85844043


Marilia Novaes
Presidente do DCE-UFPE Umberto Câmara Neto
Graduanda de Enfermagem

terça-feira, 11 de outubro de 2011

DIGA NÃO AO JUBILAMENTO



Os alunos que estão na lista do jubilamento tem um prazo de 10 dias para fazer seu requerimento, devendo entregar um ofício a cerca dos motivos de estarem sendo jubilados solicitando anulação do referido. O ofício deverá ser entregue na PROACAD. Os alunos que se sentirem lesados podem recorrer na justiça.

O DCE UFPE, que não ficará de fora desta luta, já conta com um advogado para representar os estudantes que assim desejarem. Neste sábado, dia 15/10/11 às 14h, haverá na sede do DCE uma reunião com o mesmo para mais informações.

INFORMATIVO DO DA DE ENGENHARIA CIVIL
por camila constantino

é importate que os estudantes se juntem nessa luta, tendo em vista que o jubilamento foi uma arma usada na epoca da ditadura militar para expulsar da universidade aqueles estudantes comprometidos com as causas populares e que lutavam por uma sociedade mais justa. hoje vemos tristemente essa prática voltar a ser utilizada contra aqueles estudantes que por motivos diversos nao tem condições de se manter na universidade. O jubilamento precisa ser abolido da universidade, por que é muito fácil culpar os estudantes por nao esturdarem, quando sao reprovados ou quando abandonam uma disciplina, mais niguem questiona a conduta de certos professores em sala de aula, quando estes sao intrasigentes e reprovam mais da metade da turma, por que a turma nao leu os textos em ingles que ele passou, ou quando a universidade nao disponibiliza bolsas de assistência suficiente para que os alunos possam se manter na universidade e nao ter que abandoná-la para ir trabalhar e sustentar a casa. enfim nao podemos continuar com essa historia de culpar as vitimas desse sistema opressor e excludente, a luta do DCE é por uma universidade pública de qualidade e para todos, o jubilamento nao se encaixa nesse padrão de universidade por isso precisamos aboli-loPrivacidade:

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

VITORIA! DIÁRIAS DE CAMPO AGORA SÃO 30,00

Diretoria do DCE, combativa que consegui
 aumento nas diárias de campo
No dia de ontem obtivemos um grande vitoria, as diárias de campo que por tanto tempo tem sido um dor de cabeça para os estudantes, foram aumentadas em 50%, sendo assim os estudantes passarão a receber 30,00 e não 20,00 reais nas próximas viagens.
Para aqueles que acham que esse valor ainda é pouco só o que podemos dizer é que CONCORDAMOS com vocês, porém devemos entender a mudança, significativa, que isso trouxe para o investimento nas nossas excussões didáticas.
Até o mês de setembro a UFPE investia R$ 300,00 nessa área, a partir do mês de outubro passará a investir R$450,00, um aumento considerável, tendo em vista a desvalorização pela qual o ensino público vem passando nos últimos tempos, principalmente nesse ano onde ouve um corte de verbas tão acentuado para a educação.
Mas as conquistas não param por ai, todo estudante agora ao realizar as excussões terão garantidos seguras de vida e saúde, sem falar do acompanhamento das viagens realizado pelo pessoal do DDE.
Contudo a luta continua, não só por melhores diárias, mas também por uma educação pública, gratuita e de qualidade.